sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Lições da Vida a Bordo e Sustentabilidade

Vida a Bordo


Dando continuidade ao sonho de um dia viver a bordo me deparei com a matéria escrita pela colunista Marcela Rocha, da Revista Náutica, "Lições da Vida a Bordo".  Marcela além de escrever sobre a vida a bordo, também escreve matérias do mundo náutico dirigidas às mulheres, amei os artigos publicados!

Fato é que muitas mulheres quando se mudam para o mar e não conseguem se adaptar à vida longe da família e do cotidiano que levavam em terra firme, sentindo-se muitas vezes culpadas e egoístas por abandonarem os familiares. Todavia, o contrário também é verdadeiro!
Há quem largue emprego fixo para realizar o sonho de morar a bordo. Nos dias de hoje, com exceção do servidor público, o emprego fixo é uma ilusão. Aliás, o acúmulo material também é uma ilusão para chegar a um lugar em que se pode estar AGORA, e sem todos esses bens materiais que tanto corremos atrás quando vivemos em uma cidade grande, querendo e achando que necessitamos cada vez mais e mais. A vida no mar é muito diferente. Os valores materiais são baseados nas necessidades.
Imagine lavar roupa utilizando uma hand machine? A hand machine, ou máquina de mão, é pequena e tudo que você tem que fazer é girar a manivela. Você não gasta energia, usa pouca água e ainda faz um exercício para os braços! Porém, ela passa longe do conforto de uma lavadora convencional. Aliás, vale falar, se você tem grana e pode viver na marina, a vida é outra… Água e energia à vontade, como um apartamento flutuante.
Marcela retrata que "um dos papos que tenho constantemente com mulheres que vivem a bordo é como garantir a renda. Nessas horas, a criatividade é o que vale. Umas aprendem a cortar cabelo, outras fazem bijuterias para vender, há as que costuram velas e capas de colchões. As mais antenadas trabalham na indústria náutica instalando equipamentos, limpando cascos, fazendo verniz no interior de barcos, trocando teca dos deques… Mas todas têm algo em comum, vivem o AGORA. Mesmo não possuindo renda fixa, preferem arriscar-se em não ter trabalho tradicional do que viver um cotidiano previsível longe do mar".
Porém, viver a bordo não significa passar perrengue ou abandonar a vaidade, não! Minha amiga Edinha que vive a bordo do Ideafix não sai do barco sem um batom ou protetor labial. Tudo é uma questão de organização. Não precisa abrir mão de banho, de perfume, de bijuterias.
O que mais me atrai é a simplicidade que está presente em todos os dias a bordo e o desperdício de água, energia e espaço não existe. A essência da vida a bordo é a economia e a simplicidade. Viver com pouco, ser feliz e ainda ajudar a salvar o planeta. Tudo se recicla. Orgânicos são jogados no mar. A mesma água que cozinha a batata, pode cozinhar o arroz.
É essa consciência e esse hábito que tanto tem aparecido em campanhas sociais, sustentáveis e nas bandeiras dos politicamente corretos que se aplicado no dia a dia de qualquer um, poderíamos ter uma esperança de um mundo melhor, porém infelizmente muita gente ainda se prende ao “parecer sustentável” e não realmente ser. 

Bons Ventos!


http://www.nautica.com.br/licoes-da-vida-a-bordo/