segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Inclusão Social - Vela Adaptada 2014

Atletas do Clube Paradesportivo Superação participarão do Campeonato Brasileiro de Vela Adaptada 2014

Vamos divulgar e estimular a participação de outros atletas!

Após um ano de treinos regulares e intensivos, atletas paulistas se colocarão à prova. O Clube Paradesportivo Superação enviará seis atletas para representarem o Estado de São Paulo no Campeonato Brasileiro de Vela Adaptada 2014, que acontecerá entre os dias 2 e 6 de dezembro, na Baía de Guanabara, Rio de Janeiro. Os atletas estarão divididos em três classes distintas, a Sonar – com três tripulantes, a SKUD-18 – com dois tripulantes, sendo um obrigatoriamente do sexo feminino e, a classe 2.4mR – onde o barco é ocupado apenas por um atleta.

Bruno Landgraf e Marinalva Almeida, da classe SKUD-18, estão em uma forte busca pelo título. Ambos treinaram com regularidade na Represa do Guarapiranga e no local onde acontecerá o campeonato.

Ivan Quirico representará o clube na classe 2.4mR, onde o barco de um único ocupante exigirá sua total atenção e esforço. Os campeões do Paulista de Vela Adaptada 2014, que aconteceu em setembro, estarão presentes na Classe Sonar. Elisabete dos Santos e Robson da Silva estarão sob o comando de Luiz Gouveia nas águas da Guanabara. “São Paulo sempre foi um estado revelador de atletas paralímpicos e o berço da vela adaptada. Começou com o projeto Água Viva em 1999, formando atletas velejadores de nível internacional. Todos estão otimistas com o resultados que nossos atletas poderão alcançar neste Brasileiro”, comentou Honório Rocha, presidente do Clube Paradesportivo Superação. O Campeonato Brasileiro de Vela Adaptada 2014 é uma realização da Confederação Brasileira de Vela Adaptada, com apoio da Federação de Vela do Rio de Janeiro, e com sede no Clube Naval Charitas, em Niteroi/RJ.

O clube
Fundado em novembro de 2001, o Clube Paradesportivo Superação, visa ampliar a divulgação do paradesporto no Brasil, revelar novos atletas e aumentar o número de deficientes que praticam esportes, proporcionando assim, uma melhor qualidade de vida, inclusão social, elevação da autoestima de seus atletas e principalmente o respeito do indivíduo.

Informações: Evandro de Léo/A Fonte – Fotos: Cláudio Borges

Fonte:  https://almanautica.wordpress.com/
por Ricardo Amatucci em 21 de novembro de 2014